Bem-vindo ao Blog do Caminho das Folhas.

sexta-feira, 9 de setembro de 2022

química

 Sim, o candidato da democracia inda solta umas barbaridades, mas a terceira via está longe de ser competitiva; que pena não se terem unido logo no começo. Sim, o candidato do agro e garimpo para cada uma diz e pensa vinte mais. Triste, muito triste, e o país desce pelo ralo.

Mas hoje quero defender uma candidata pela qual  nutro escassíssima simpatia. Ao Senado, creio. Vamos chamá-la de Menininha Clara, está bem? filha de políticos fluminenses que já...bom, ela mesma. Tive o desprazer de ouvir a sua vinheta no rádio. Além de brados ao Senhooor!! (deixem-no fora disso, o Estado é LAICO!) ela pede castração química para pedófilos e está sendo massacrada por isso. Vi uma breve entrevista em que psicólogos declaravam a prática "contrária à dignidade da pessoa".

Então antes de  mais nada é preciso definir o conceito de pedofilia, e é bem possível que o da moça seja mais abrangente. Fazer sexo com adolescentes que consintam, como AQUELE diretor polonês ou ESSE roqueiro tupiniquim, não é pedofilia, e quero a integridade física destes e de outros afins bem preservada. o roqueiro até casou com a menina, sua prima. Ambas as moçoilas tinham quinze aninhos. E daí? Vale para sexo pago? Dependendo da idade  pode ser sim corrupção de menor., crime previsto na lei.  Pedofilia, meninas púberes, não. 

Mas pedófilos no duro, do tipo que raptam criancinhas e filmam os abusos, não possuem dignidade alguma a ser preservada e se capturados devem ser punidos com a máxima severidade. Lembram das crianças refugiadas vindas da Síria que sumiram ao chegar na Alemanha? os pais tinham se perdido ou morrido, famílias benevolentes os ajudaram a chegar até a triagem, na hora de cada pessoa se identificar a vigilância para com criança alheia esmoreceu... e as câmeras mostraram pelo menos dois garotos de pouca idade seguindo ursinhos de pelúcia agitados por desconhecidos. Os pedófilos ganham dinheiro por isso também, pois filmam o que fazem e vendem os filmes. Dizem os especialistas, diz a polícia que até se sobrevivem e são resgatadas as vítimas carregam sequelas profundas. "Mercadoria danificada", definem.

Então, e sem ...química alguma pela moçoila e seus péssimos planos eleitorais, torturadores de crianças por definição são indignos e seria bom que os doutores saíssem da caixinha e lembrassem disso; as vítimas é que precisam de serem defendidas.






quinta-feira, 1 de setembro de 2022

todo mundo entendeu que é para reconstruir?

 Não bastasse ver a  nossa esperança nas mãos de um senhor cuja aparência se torna mais frágil a cada dia, ainda temos de ouvir barbaridades à moda do tristemente  inesquecível "estupra mas não mata".  Estamos em 2022 e veio " quer bater, tem de bater em casa". E a tecla naturalmente é a economia; pois só o poder de compra interessa a uma população sem sentido de cidadania. Entre a qual muitos passam sim fome; não se vai ao mercado sem se deparar com pedintes à porta que pedem óleo ou leite em pó; costumo deixar isso pra outro cliente e trazer frutas para as crianças, ou biscoitos. Não sei se um novo governo fará muito para abrir as cabeças de quem se vê na equação interesse pessoal /voto. Até porque para muitos o pessoal é, como se vê, mais do que candente.

Jornalistas estão em seu papel ao esmiuçar e criticar. Porém soa às vezes como se fosse fazer diferença. Francamente.  Estes, como eu, votaríamos numa vassoura de óculos, saia ou gravata se fosse nos livrar no pesadelo destruidor. Mas todo mundo entendeu que é para reconstruir?

Hordas cheias de ódio em nome do que dizem ser Deus (falta matar para virar Estado Islâmico), candidato carrancudo e defensor de armar a população, contra a população. Do outro lado o de-longe-menos-pior,  com longa, mui longa estrada. 

Até nisso estamos reproduzindo os Estados Unidos; que possamos então seguir o figurino inteiro com êxito, até a eleição.


domingo, 21 de agosto de 2022

gangrena

Estes empresários golpistas cuja lista vazou, se é que são mesmo só eles, agora estão na berlinda.  Tive a pachorra de pesquisar o que cada um fazia. Menos o papagaio de pirata verde-amarelo; todos sabemos da loja na Barra (claro!), a que tem na porta  uma cafoníssima Estátua da Liberdade; e que também ´patrocina vários times de futebol, não apenas o rubro-negro carioca. Pois então. Além dele uma construtora da Barra, uma empresa de shoppings,  uma empresa de madeira (epa!) que produz e vende móveis.

Não há risco de eu esquentar o comércio da Barra ou de shoppings, espaços que por mim deixavam de existir uma e outros. Quanto aos móveis.. seja ou não legal essa  madeira, lembrei de ter lamentado logo no começo da pandemia o fechamento das lojas cariocas desse nome. Na de Botafogo adquiri diversos objetos artesanais, nenhum de madeira, ufa. Mas os consignados também deram dinheiro à família, infelizmente. Suspeito que o jovem empresário cuja foto saiu possa ser herdeiro do antigo dono das lojas, e que pensaria ou não como ele. Se reabrir noutro lugar não contarão comigo.

A mesma falta de ética, piorada pela barulhenta afirmação da opção religiosa, vemos nos políticos destituídos, primeiro a pastora assassina, depois o vereador assassino, agora este outro ex-PM cuja opção na verdade ignoro mas dou a cara a tapa que é a mesma. Como matar, até onde se sabe e se consegue provar, não matou, fica livre e ontem se soube que poderiam ter começado um mês mais cedo o processo: caso em que a cassação o impediria de concorrer a deputado, como pretende fazer. E o partido, o mesmo do Bozo, o que faz? De início ia expulsá-lo, depois alguns ponderaram que melhor ver se ia mesmo ser cassado ou não, porque se não, puxaria votos .. Vergonha? Pior: cassado, segue no partido. 

O desprezo pela ética, ilustrado pela atitude do partido Liberal, das seguidoras animadinhas que acham normal o moço passar a mão em assessores, estuprar meninas-moças, forjar vídeos, promover sessões de masturbação no gabinete,  é a mesma que leva empresários a declarar "mil vezes um golpe". è a mesma que nos tempos da Abertura, levou invasora da Vila do João a declarar, - Só saio se o tal dono for alguém de muito dinheiro. Se for pé-rapado que nem eu, não vai ter pra ele.  Saiu, foi saída, mas esta frase que jamais esqueço é o retrato de um país que começou a morrer quando nasceu e está se gangrenando.




quinta-feira, 11 de agosto de 2022

coturnos

 Primeiro iam punir o militar que em sua página criticava as eleições, as urnas e a candidata, com termos chulos. Iam substitui-lo por outro mais palatável.  Apagaram ou mandaram apagar o seu perfil. Mas a clivagem existente por lá levou à declaração oficial que NÃO iam substituir (de pirraça? senhores... ) . Pois a Defesa, na pessoa de seu caricato representante, considerou "inamistosa" a maneira de denunciar o absurdo. Comentar amistosamente que o ilustre chamou duas mulheres de "vaca"?

Se fosse só não enviar outro fiscal de coturno, o que pe em si uma aberração, não faria a menor falta. Mas a Defesa a cada dia mais delirante agora quer inserir nove fardados, três de cada Arma, exclusivamente para  ajudar na parte técnica pois o Tribunal usa o sistema Java e outro mais que os colegas não dominam. Então bastaria UM, nove é alucinação. Se sabe que em tese o Exército é um dos organismos que pode fiscalizar as urnas, mas até agora não se lembrara de o fazer e o ministro civil que se lembrou de os chamar não tinha a mais remota noção do" pensamento militar". Em sua versão doentia, pois há mentes brilhantes como o ex-porta-voz que hoje , em face de um "pleito dos mais divisivos", se preocupa em artigo do Globo pela solidez da nossa democracia.

A Folha de São Paulo comenta que a redação do plano de governo do inquilino  do Alvorada foi redigida por ministros e auxiliares fardados, o que levou a coisa a ter jeito de "metodologia militar". Supõe-se que a redação seja clara e objetivo;  já a do advogado, civil, do capitão, que também deseja concorrer, é embrionária. Montou uma página para "expor as suas ideias" e explicou ao repórter que ideia ainda não tinha nenhuma. Pois é.

Já o vice, que deseja concorrer em seu Estado natal, autodeclarou-se  "branco" desta vez, quando em 18 era "indígena". O jornalista teceu considerações, ser indígena era um interessante contraponto ao racismo do mandatário, ao passo que no Sul indígenas são mal vistos. No dia seguinte à matéria da Folha, o vice-presidente tonou a se declarar indígena, comentando ter havido um erro técnico no preenchimento. Ponto para ele então, e pro jornalista. Mas que estamos nos tornando república de bananas, estamos. 



quinta-feira, 28 de julho de 2022

das macaias

 

Alguém já notou o quanto os evangélicos (definição que os diferentes interlocutores deram, não é preconceito meu) manifestam aversão às folhas e plantas em geral? Algumas mais, claro, abominam jurubeba por exemplo ("do demo") e se veem, tentam cortar. Aqui perto renasceu uma e o cortador sumiu. Uma jurubeba é de Exu, a de espinho, as outras não, mas todas pagam por serem jurubebas "planta nobre do sertão" como cantou o nosso Gil.

Duas diferentes senhoras que se queixavam  de e azias  e coisas afins rejeitaram qualquer sugestão de ervas, alegando  mesma coisa,  Erva não, sou evangélica.  Eram pessoas que achavam normal me submeter às lamentações, de nível cultural muito baixo, esposas de pajés vivendo no Rio. (e tinham eles a responsabilidade de não fazer delas companheiras de verdade e deixá-las em casa ouvindo o pastor). Quando a pessoa tem intelecto em melhor estado, pode deixar sementes  a resposta, E você acha que Deus criou a natureza mas as plantas não? 

Tudo isso porque tento compreender como podem aceitar tantos integrantes deste segmento a destruição promovida pelo desgoverno. Em parte não a querem ver porque quem diz é maconheiro e "cumunista". Temo que muitos e muito considerem bem feito, essas coisas diabólicas merecem.

Não percamos uma só oportunidade de mudar essas cabeças. Na Umbanda a folha é a macaia. Talvez os aficionados não saibam que maconha por sinal significa "folha" em quimbundo.




domingo, 17 de julho de 2022

já estão metralhando

Leio hoje na Folha  que é difícil para especialistas criminalizarem discursos de ódio quando não são seguidos por atos: "ninguém metralhou a petralha", diz o sociólogo, nem "incendiou fascistas". Cabe aqui dizer que ignorava tudo desta conclamação absurda. Deve ter circulado em redes sociais, de que me abstenho; que problema  traz escrever e gritar, Fora fascistas?  Criar telhado de vidro do nada é anti-estratégia. Vem o tal instituto e equipara o inequiparável.

Porque é impossível de equiparar. A charge da Folha lá do começo da semana mostra de um lado um alvo humano, do outro fuzis apontados, com os dizeres: Basta de Polarização. A coluna do BMF no Globo denuncia o termo, avisa que existe permanente fascistização de um lado e pronto.

Quem duvida analise as justificações do deputado Quebrador de Placa, o do-cabelo. Invadiu passeata do candidato mais democrático ao governo do Estado porque "não podia ficar assistindo o outro lado insultar a família dele e a do presidente da República". A ele, devem ter chamado de filho da puta, com todas as letras que merece. À famiglia, terão chamado de fascistas e ladrões. Esta merece as definições. Aquela, a do invasor, não era alvo específico e não teria ele ouvido nenhum impropério se ficasse em casa. Ouviu porque foi fiscalizar, como já tentou fiscalizar com o  Segundo Quebrador  o colégio PII. 

E discordar do presidente virou crime na cabeça de fascistas, como o ataque em Foz do Iguaçu demonstrou. Nos dois casos era um encontro a favor de algo, a comemoração de um aniversário, a passeata de um pré-candidato. Mas ser a favor do que os armamentistas condenam passou a merecer pena de morte. Ambientalista, nem se fala, e se o culpado for indígena. então.. Ontem, dois anos depois do atentado, a PF prendeu o suspeito de matar um dirigente Uru E Wa Wa. Se dependesse do governo, não prendia.

Num dia que em tese é do meio-ambiente, (mas deveriam ser todos os dias) é um modesta promessa de justiça. Melhor seria tê-lo vivo e ativo. Um aspecto positivo destes tempos mortíferos é a proliferação de jovens mulheres indígenas que põem cocar na cabeça e a boca no mundo. Outro é a união contra a destruição; daquele infeliz pajé obrigado a botar gravata e ir ao culto não se fala mais. Os povos nativos perceberam, muito antes do atentado de Foz, que já estão nos metralhando.














sábado, 2 de julho de 2022

negros como andre rebouças e princesa isabel

 O marombado merece a medalha. Ele leu 832 livros!! gente, ele os conta!!! Gostaria de saber quais.

Sem a menor dúvida estudou, acho que é formado em Direito. Um terço dos 832 serão livros de leitura obrigatória. E é possível que ele esteja computando também algum livro de sua infância. Não me arrisco a imaginar qual ou quais. 832!!

Mas o marombado quebrador de placa também questiona a definição de intelectual, daqueles diversos poetas que recusaram a homenagem ontem pra "não levar um tiro no coração em vez de uma medalha" na definição de um deles. Questiona, e é aí que entram os 832 volumes. Ele tem isso tudo aas estantes e NUNCA OUVIU FALAR dos poetas em questão. Não é o desconhecer que se reprova; nem todo mundo gosta de poesia.  Duvido muito que o físico ou contador médio conheça profundamente os poetas vivos brasileiro. Até aí nenhum desdouro. O problema é o moço definir a irrelevância dos poetas por NÃO estarem entre os 832. Li 832 livros e nenhum deles está ali, então quem são eles? Bota eles no Twitter pra ver se são populares. Palavras dele.

A César o que é de César, o primeiro quebrador de placa não foi ele e sim seu amigo com-cabelo, que quebrou sozinho a placa Zero, na Cinelândia, quando era assessor do Filho Um. Esse da medalha foi junto da inesquecível segunda vez, na serra, com o futuro e barrigudo ex-governador a gargalhar.

Repito, esse aí sabe ler e escrever com fluência, estudou (e leu 832 livros). Outro homenageado foi o ex-PM que usa três sobrenomes, o do mandatário, o da certidão que me recuso a escrever, e a alcunha de Negão. Jeito de miliciano, depois de eleito comprou muitas correntes de outo, um investimento.  Esse estudou menos; mas diz gostar de ler História do Brasil o que só é louvável.  Reclamou que aqui "enaltecem alguns negros mas esquecem de outros. Falam muito de Zumbi dos Palmares, mas esquecem de André Rebouças e princesa Isabel." Palavras dele.

Bem, Rebouças ganhou um túnel em sua homenagem, não anda tão esquecido assim. Abolicionista, era contudo muito confuso. Tinha escravos em casa, que ia libertando de um em um em festas nacionais ou de santos de sua devoção.  É muito possível que o adolescente médio de qualquer cor e qualquer extração social ignore quem ele foi, e que fosse negro, ponto para o recentemente homenageado nesse caso. Será como o famoso relógio parado que tem razão duas vezes por dia.