Bem-vindo ao Blog do Caminho das Folhas.

sexta-feira, 24 de maio de 2019

cabeça de papel

Mata soldado, cabeça de papel; mas que vergonha, soltaram do quartel.
Mata soldado, mãozinha no fuzil, se está meio perdido atira no civil.
Quanto soldado com o nome no jornal. Nove soldados, vergonha nacional.

domingo, 19 de maio de 2019

os anjos vão dançar jongo

Tia Maria do Jongo, Vó Maria da Serrinha, essa mesma senhora bonitona se foi. Também aos 98 anos não foi surpresa,
Ainda esta semana saiu citada no jornal a respeito de crianças no jongo. Opção polêmica de Mestre Darcy, esse já nos deixou em 2001; mas que salvou o jongo, o da Serrinha em todo caso.
Há gente que pensa que todo jongo é da Serrinha e gente que pensa que todo floral é de Bach. Não há porém dúvida que o renascer do jongo da Serrinha favoreceu o renascer do jongo salgueirense, quase morto perto da virada do século e que brotou das cinzas há poucos anos.
Favoreceu também não a continuidade, pois ia muito bem das pernas, mas a divulgação do jongo da serra fluminense e paulista e a existência de festivais. O jongo como se sabe se expandiu com os escravos bantos; Rio de Janeiro, São Paulo, Espírito Santo e Minas Gerais.
Esse renascer específico na Serrinha teve um preço: a teatralização do jongo local, com a entrada de instrumentos como o violão, e a permissão e mesmo estímulo aos impúberes; não se permitia pois o jongo pertence a Exu.
Cada vez mais distante da curimba e cada vez mais teatralizado, haja vista as roupas de palco que  há anos deixaram de ser brancas, o jongo da Serrinha tinha sofrido uma espécie de cisão, com jovens mais comprometidos com tradição formando o seu próprio grupo. Que até onde tenho notícia não pretendia subir em palco e não subiu.
Tia Maria era católica, não sentia falta das tradições mais religiosas da dança, e seu coração se alegrava quando via um garoto ou garota crescer e continuar a dançar o jongo nas rodas.
Mas venerava as Almas, cultuadas tanto pelo catolicismo como pela Umbanda.
Agora que se encantou, que ela própria é uma Alma, olhe pela "proteção ao jongueiro novo, pro jongo não se acabar!" 
E na sua grande generosidade, ensine os anjos a jongar.




segunda-feira, 13 de maio de 2019

triste de maio

Pouco há que se comemorar nesse Treze de Maio. Menos porque foi ontem o dia das Mães e o coração coletivo ainda sangra por mortos recentes, escandalosamente abatidos.
Duas viúvas, uma já mãe e a outra futura, e livrando-se (até agora) por um triz de ter de provar que os companheiros não eram bandidos. Mas entre perícia, relatos de testemunha e um morador que filmou a cena, cai por terra a versão do catador armado com Uzi ou o que fosse.
O Exército precisa assumir o erro, não basta manter encarcerados os soldados (que nem isso queriam fazer, viva as duas juízas militares que  decidiram); é essencial o contato com as famílias não apenas para desculpar-se, como para assumir alguns custos.
Além disso muitas balas erraram o alvo e perfuraram automóveis e lojas. Por acaso não houve mais mortes. Tiros porcos, como definiu o vice-presidente. Mas a qualidade do tiro é o de menos no caso.
Estas vítimas são exemplo de como o armamentismo não soluciona nada.
Que os santos todos possam proteger crianças, inocentes e a terra em que vivemos, vista por alguns como galinha dos ovos de ouro em vez de ser reverenciada. Aí está o calor absurdo para  época do no, demonstrando a triste verdade do aquecimento do planeta.
Mas será que esses engravatados sentem calor, em seus escritórios refrigerados o ano inteiro?

sexta-feira, 26 de abril de 2019

bancos e brasis

Não tive acesso à publicidade para o BB que circulou diz que  por uma quinzena, apenas vi algumas fotos e a notícia.O filmete desagradou ao Mandatário e o responsável pela criação foi simplesmente demitido. Ainda não há a Rainha Negra para dizer - Cortem-lhe a cabeça! - e a execução  sumária foi simbólica.
A idéia era atrair público jovem, então o profissional pôs em cena tatuados, negros e negras jovens, homens de brinco e cabelo comprido, por aí. Desagradou.
Pois então.

 E não reparei na época mas este foi o segundo entrevero presidencial com o BB, que pretendia montar um curso ou oficina de diversidade há uns tempos. Foi obrigado a cancelar mas antes disso o distinto senhor produziu uma frase, reproduzida pelo Globo hoje e que não resisto, a carne é fraca e a sintaxe alheia pior, a copiar:
- Um conselho que eu dou a vocês é, se porventura, alguém que for aprovado no concurso e for exigido esse diploma, você pode entrar na Justiça que tu vai ganhar. Se bem que eu vou tentar junto ao BB para que evite isso..-

Bem, a diversidade assusta muito, ao que se vê, e opiniões divergentes mais ainda.

terça-feira, 23 de abril de 2019

jorge

E ridículo, sem sentido e nocivo que um auto-denominado filósofo vivendo fora das fronteiras nacionais dite as suas idéias descabidas para quem aqui reside, e, supostamente, governa.
Cabo-de-guerra entre facções. Dança do caranguejo, um pra lá dois pra cá. Simplesmente este senhor deve ser varrido para o lixo astral.
Com os seus apadrinhados e apoiadores.
Que em seu dia o senhor Ogun ajude a limpar estas lamas tóxicas do caminho do entendimento. Salve a lua de São Jorge, salve o dia de terça.
Salve o santo guerreiro sempre.
Saravá Ogun..


sexta-feira, 12 de abril de 2019

só falta dizerem "Saiu, pô!"

Queria saber o que o décimo soldado do Exército fez ou deixou de fazer para ser solto. Jogou o fuzil no chão e tentou demover os nove outros ? Ainda assim já devia estar morto o infeliz músico carioca.
Oitenta balas não é brincadeira, e se fosse realmente o carro do assalto, cujo motorista eles procuravam, seria reação descabida. Duas ou três nos pneus deveriam bastar, não?
Como descabido é o governador afirmar que não pode emitir julgamento.
E após seis dias de silêncio o presidente enfim se pronuncia, dizendo que é preciso aguardar, o culpado aparecerá (será que um dos soldados pertence ao PSOL e tentam pendurar a culpa nele ?) e..".o Exército não matou ninguém. Foi um incidente. Foi uma morte lamentável."
Será que ele pensa que foi suicídio? Nesse caso, concertado com os nove, ou dez, fuziladores. Crime, pela lei vigente.
Será que pensa que a população acusa o Estado-Maior de ter encomendado a matança?
Como é que uma pessoa morre de oitenta balas sem que haja dedos nos gatilhos disparadores?
Ou então, foi "canelada". Oitenta balas fora do lugar, nove ou dez canos de fuzil, pertencendo a soldado se chama incidente?
Será que os soldados vão adotar a técnica oratória do chefe da Nação e declarar, - Saiu, pô!
E o músico partiu perguntando, Por que o quartel fez isso?
Acho que todos estamos de luto.

sábado, 6 de abril de 2019

metáforas e realidades

Haverá pessoas mais afinadas com as metáforas presidenciais. Essa do xixi na cama acho deplorável, porque alude a áudios  que ele postou recentemente e nos quais diz não se reconhecer. Menos mal?
Aí completa, -Mas não vou pedir desculpa! vou pedir desculpa porque fiz xixi na cama aos cinco anos? Saiu, pô.
Bem. O País não é sua cama. O senhor não tem cinco anos. E se o que grava equivale a xixi, comentários se fazem desnecessários.

A da aliança ministerial tampouco entendi. Tirara a aliança da mão direita e botar na esquerda ou na gaveta? Mas aliança quem usa usa na esquerda mesmo; será um ato falho, indicando sucessor ao colombiano situado mais para o centro? Prouvera a Deus. Aquele do Instituto Senna saiu hoje no jornal lembrando que foi desconvidado porque para bancadas que apoiavam o presidente ele não interessava.

Enquanto a bagunça impera no ministério, sempre bom lembrar o que só vi até agora na ÉPOCA, num pé de página: o diretor da EBC foi exonerado em março pelo mandatário supremo. Por ora as rádios funcionam normalmente. Mas bom ficar de olho.
E onde quero chegar é que de fato o colombiano nada fez de válido por falta de experiência e mais ainda porque não o deixam.
Deixarão trabalhar o sucessor? E de que forma?
As perguntas que vejo serem feitas relativas a esse ministério são QUANDO E QUEM; parece-me que seriam bem mais oportunas COMO e COM A AJUDA DE QUEM.
Nem tanto "Quando et quis"  mas sim "Quomodo et Quibus auxiliis".