Bem-vindo ao Blog do Caminho das Folhas.

sábado, 4 de abril de 2020

domingo de ramos

Exemplos de como não proceder.
A Defesa Civil interditou com fita zebra bancos e mesas da praça. Fez muito bem, mas um gordo senhor veio pisando duro do alto da rua e sentou num por um minuto (acho que contando os segundos). Na mesma ocasião uma freguesa da nossa feira orgânica deixou berinjelas e cenouras em cima de outro banco, sem nada isolando. Há gente que aceita orgânicos com corona.
Exemplos assim poderia contar vários. Mas prefiro externar a tristeza de não poder comemorar o Domingo de Ramos direito. Ir (a pé) até a igreja e descobrir que nem missa há? Nem palmas de Ramos?
O principal exemplo do que não fazer vem, claro, do Planalto Central. Pelo que estamos vendo a dízima periódica que ainda apoia o gerente do boteco Boi na Linha só vai diminuir quando começarem a cair doentes (já existem casos mas não um número que  faça diferença no gráfico).
vemos que Espanha e Itália, países queridos, estão começando a entrar na curva descendente, com todos os poréns.
Mas a curva tupiniquim ainda ascende e quantos partirão de cada lado quem sabe.
Meus respeitos à memória de Ellis Marsalis, que lúcido e alegre nos seus 85 poderia ter continuado a formar músicos. Matriculou os filhos em escolas onde aprendessem pauta e música erudita, e os moleques desciam a ladeira solfejando Bach. O concerto de Vivaldi com Wynton no trompete é uma peça notável. Quando  fundou a sua e lhe perguntavam como conseguia ensinar jazz respondia, aqui não ensinamos jazz; ensinamos alunos.
Fica pra outro dia a denuncia do carro de som que emite ameaças e exibe fuzis.
Bom domingo de Ramos encerrados.



domingo, 29 de março de 2020

quem quer o país de volta sou eu..

Ontem puxei Bella Ciao da janela; começou com alguém tocando no saxofone no centro, no início dos protestos, depois cantaram em Copacabana, anteontem o "puxador local" do panelaço aqui assobiou ao se retirar e ontem eu cantei; certamente está viralizando noutros lugares.
É importante, creio, não gritar apenas pela saída do senhor presidente; e cantar Bella Ciao que vai se tornando a marca destes janelaços fica muito próximo disso.
Sempre grito também, nas pausas, coisas  como Viva a Imprensa!! Viva o Congresso e também Viva o Brasil!
O Brasil é mais.
O único símbolo da facção alucinada que está no poder é a "arminha". Não possuem nenhum outro. E roubam símbolos coletivos. A bandeira é nossa, também. O hino nacional é nosso, também.  O país é nosso, também. Nós é que queremos o nosso pais de volta. Todos nascemos aqui.
Se um dia vamos ter outro Hino não sei, mas por enquanto o que temos não pode ser usurpado por uma ou outra parte.
E a respeito de partes, me recusei a entoar o Lula lá ontem, porque definitivamente Lula já esteve lá e o de hoje parece até pior. Respeito muito o torneiro mecânico que ele foi e a guerrilheira que a ex-presidente foi. Mas sair-se com elogios ao ditador venezuelano é inaceitável, e pior, persiste no erro da sua colega de partido que até foi a Caracas meses atrás.
O rei saudita mata jornalistas. O ditador venezuelano também, de forma menos espetacular talvez; manda proceder nas masmorras e não nas embaixadas.
Tenho a certeza de que o ex-torneiro mecânico jamais faria isto. Mas elogiar quem faz é assimilar-se em espírito.
Pela janela, disse ao companheiro que cantava Lula lá que não podemos deixar polarizar e aparentemente ele entendeu.
Não é um partido contra a facção, são os que prezam o país e a democracia contra a facção.
Vamos manter a união e vamos seguir respirando. O Brasil e mais.


quinta-feira, 19 de março de 2020

o bella ciao

Cada faixa de gerações parece que tem a sua provação. A faixa que se extinguiu ou se extingue com o meu pai conheceu a Segunda Guerra Mundial,; alguns conheceram os campos, outros o uniforme, outros apenas as privações e na Europa o susto dos aviões soltando bombas.
Daí pra baixo, três gerações pelo menos conhecem agora a prisão domiciliar da nova peste pulmonar, o corona.
A Grande Peste que dizimou o Velho Mundo eram duas na verdade, a bubônica e a pulmonar. As profilaxias usadas, pragmáticas embora, não estavam erradas. Mas nem todos podiam empregá-las, nem todos podiam tomar banho de vinagre (que afasta as pulgas do rato) nem a cada dia encher um cone de ervas aromáticas como faziam os médicos (era isso a estranha máscara que usavam, que os tornava semelhantes a pássaros); e mesmo assim muitíssimos médicos morreram, como agora já alguns deram a vida salvando outras.
Nenhuma criança que viveu esse confinamento haverá de esquecê-lo, e menos no Brasil onde o ruído das panelas e tambores pontua o encerro. Se a família é contra o panelaço é impossível deixar de ouvi-lo. Isso marca.
De Quintino ao Jardim Botânico; do Cosme Velho ao morro da Mineira. Na área da Cruz Vermelha-Bairro de Fátima um morador tocava O Bella Ciao no saxofone.
Pode ser lido como o "Tchau Querida!" àquela senhora em quem também não votei, e contra quem ainda mais decididamente não fui manifestar; e pode ser simplesmente vivido como é vivido na Itália. Bella Ciao, originalmente cantando pelas plantadoras de arroz, tornou-se canto dos partigiani na luta anti-fascista.
A letra deve estar disponível na barra de pesquisa. Ciao, ciao, ciao!

sábado, 22 de fevereiro de 2020

conceitos prévios

Ele(s) que siga(m) metendo os pés pelas mãos.
Essa fala do ministro que ele tentou anular podemos dividir em partes:
-uma farra danada, até empregada doméstica vai a Disney.
Como nem sou, nem conheço quem tenha, fica difícil confirmar a veracidade mas ele claramente não acha coisa boa.
Depois tenta se corrigir.apontando outras opções aqui: "o Nordeste.. que tem praias lindas, o lugar onde Roberto Carlos nasceu (Cachoeiro do Itapemirim, ministro, e o querido Rubem Braga também veio de lá; dele o senhor ouviu falar?), as cachoeiras do Iguaçu"
Vamos esmiuçar. Aposto que "as praias" vieram quando a frase já ia solta.  Nordeste e que é lugar de doméstica, e ele não quer a vizinhança.
O ministro teria carradas de razão quando estimula o turismo local, louvando as belezas que existem aqui. Mas para as domésticas apenas? Estranho.
Mas ele TERIA razão, não a TEM. Porque ao acompanhar o eleito dos pastores pentecostais  aos Estados Unidos declarou ao eleito de lá que agora "o Brasil tinha um presidente que adorava a Disney e Coca-cola", horresco referens.
Então ele achava BOM que se fosse à Disney. Contanto que o viajante não trabalhasse " em casa de família" expressão que sempre me assombrou.  Lá é pra classe média, as domésticas devem ir a Cachoeiro, Fortaleza e Iguaçu.
Caramba.. entre tais opções qual a mais sedutora, entre ser aspone em Brasília e empregada doméstica ficaria com a segunda, se o prêmio for este.




terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

gente coisa é outra fina

As cultas (?) amigas não são mais amigas e para minha surpresa bato palmas para a atriz nomeada  pois certamente evitou males maiores. Como a efígie presidencial, de faixa, em todos os monitores de todos os funcionários, e a nomeação do senhor de lustrosa careca, louvando os tempos do cativeiro.
A questão é o que conseguirá fazer, e o que faria um substituto seu se e quando ela vier a cair... Dá arrepios.
A rádio pública que foi do Ministério da Educação são na verdade duas a FM que ouço sempre e a AM, mais voltada apara o samba, de que gosto, apreciando com moderação.. A fm vai de vento e popa tanto quanto se pode perceber.
Talvez, o terem desencavado três versões diferentes do Canto da Sibila para tocar diversas vezes na minha faixa predileta, seis ás oito da manhã, seja emblemático. Acompanho o programa ha quatro anos assiduamente e nunca ouvi... O belíssimo Canto da Sibila vem a ser uma obra medieval que anuncia o fim do mundo. Que não veio nem no ano mil nem no ano que o compositor catalão temia. Porém..
Já na AM a semana amanheceu sem o programa de Adelzon Alves, sem que se saiba o motivo. Bem, motivo nunca dizem mesmo e às vezes nem é perverso.Mas tanta coisa é sim perversa hoje no Brasil que a gente desconfia de tudo.
Mas eu que jamais que acompanho samba enredo tive a oportunidade de ver trecho da letra do que traz a Mangueira. E este ano torço pela verde e rosa.
Por causa do trechinho seguinte, Lá não há Messias de armas na mão.
Que seja uma beleza, sempre, o cenário.....



sexta-feira, 31 de janeiro de 2020

odo yá

Os nossos governantes não sabem multiplicar pães nem peixes. Mas sabem dobrar o número das pessoas presentes em eventos que lhes interessem.
Anunciaram que 56 cantores sertanejos, o que suponho ser a quase totalidade da nata do gênero, haviam comparecido a um evento no Alvorada para festejar o suposto chefe da nação. Pobre nação.
Porém a exata metade desse povo desmentiu em suas redes sociais, alguns com irritação, e a lista corrigida teve de ser divulgada.
O fato chamou a atenção para pormenores como os nomes que tinham declinado do convite e não estavam nem na primeira lista, metades de duplas sertanejas.
Fico imaginando, perversa que sou, o modus operandi. Convida-se a dupla João e Pedro. João que é o porta-voz agradece e recusa. Prontamente incluem o outro irmão à força e em efígie!?

E falando em peixes, salve a Senhora Mãe dos Peixes, na Bahia e onde seja. Odofe yabá. Com o que acontece nos oceanos vai chorar mais do que nunca. Que as lágrimas ajudem a limpar!
Odoyá,


terça-feira, 21 de janeiro de 2020

é o cacete

Bem, caiu com estrondo o senhor de ideias medievais que eu chamava de Alvar Vilãm, grafia da época que vivenciava. El-Rei Afonso, o rei poeta, era mais esclarecido do que ele.
Faz bem a alma vê-lo pelas costas mas o esquema da Cultura sob os bovinos poucas alegrias trará.

O impressionante porém (com dois SS, ministro) foi a declaração do mandatário, que se perdeu um pouco em meio às dúvidas (Aceitará a atriz? não aceitará?) para o seu projeto de futuro.
Não apenas mais uma vez fala da sua candidatura apesar das juras passadas de jamais tentar se reeleger, como desta vez foi mais longe.
Declarou candidamente que depois deste mandato poderia se reeleger e que..."mais pra frente quem sabe a gente vê"!
A gente vê o quê, meu inacreditável senhor? a hipótese do segundo não estava prevista em suas palavras ocas, mas estava prevista na lei. O terceiro é golpe, no modelo dos governantes sul-americanos que o senhor tanto critica. Sul-americanos ou asiáticos ou o que seja. nada de sectarismo.

Comendo pelas beiradinhas. Aliados se fizeram inimigos mortais, este senhor caiu como goiaba podre, um dos membros do clã quer deixar a política, vamos lá na fé que uma hora aquilo cai.