Bem-vindo ao Blog do Caminho das Folhas.

segunda-feira, 10 de agosto de 2020

mascarados

 Quem persegue anti-fascista, fascista é. Sair investigando servidor e policial par descobrir quais se vinculam a movimentos anti-fascista é coisa de.. fascista. O zerinho armado do presidencial Boi foi pessoalmente entregar lista dos suspeitos aos norte-americanos. 

Chegou a hora de parar de falar do fascismo histórico, e quem deu o ordem para isso foram aqueles membros do clã presidencial, e aqueles de seus aliados que se identificaram com fascismo. Calou fundo n´alma pelo visto.

Se até nazistas existem no Brasil, investigados pela polícia, que dirá fascistas. Recentemente detiveram alguns jovens com símbolos nazistas que se safaram alegando serem do rock, como se fosse desculpa. O movimento, pequenininho, pelo menos isso, usa parênteses triplo ((( ))) para se referir aos judeus, e 88 para simbolizar Heil Hitler. Porque o H é a oitava letra..

Até esse nazismo de fancaria é mais uma máscara, disfarçando o verdadeiro intuito destas pessoas que prezam as armas mais do que as vidas. As metas que realmente almejam são acabar com a "inútil" natureza; e guardar trocados ilícitos no bolso, como aqui e ali se vê.

Queriam chegar lá para poder assim proceder. Só isso. Combater a corrupção não interessa porque mexe com gente próxima.

E o ministro da economia metido a anti-diplomata anti-natureza é pior do que o gordo ocupante da cadeira de chanceler.

 











 teste yeste

domingo, 2 de agosto de 2020

bom sujeito não é

Exemplo? Quem não gosta de árvore. E quem é capaz de cortar uma árvore por não gostar de quem a plantou, ou porque veio da África; a polícia investiga o corte de mais um baobá querido em Paquetá. Foi plantado há sete anos e era xodó da maioria da população local. Insiro o "maioria" porque evidentemente unanimidade não havia.
Suspeitam de intolerância religiosa e o babalaô presidente da comissão contra a mesma está indignado, como qualquer pessoa de bem.
Sete anos é creio mais ou menos o tempo desde o corte do baobá ícone da ilha, Maria Gorda, a que cheguei a ver nas raras visitas. O João Gordo, ainda fininho na verdade, servia de consolo. Maria foi legalmente cortada sob pretexto que ia cair, em meio a polêmica sobre a hipótese da queda. João foi crime ambiental, e maldade.
Em Angola um dos nomes é "embondeiro", um misto de banto com neo-latina, e lá a têm pela árvore nacional. De lá veio a semente, e talvez por isso mesmo foi cortada durante a noite.
Gente mas como é que ninguém ouviu?
💧💧💧💧💧

Plantem outra, companheiros. E instalem câmeras se não acharem o criminoso.
                           

Mexam-se pelo Camboatá. Basta de boiada passando.

sábado, 18 de julho de 2020

sos camboatá, de novo e sempre

O deputado do centrão de nome lírico, recente apoiador do governo, explica a sua visão do mundo.
O presidente tem boas intenções, só precisa do centrão para aplicá-las. O buldogue da Saúde não faz nada pior do que fez o Mandetta. Não vê radicalismo algum no sinistro do Meio Ambiente.
Este último exemplo é o mais inquietante, demonstrando exatamente quais são e não são as prioridades da nuvem de gafanhotos atrás de cargos de onde provém este senhor, nuvem que vê matas como fonte de renda. Para eles e gente como eles.

Se em Sabiá-guaba o MP-Ceará recomenda desistir do loteamento  (ainda não impediu toda alteração, como quem enviou o manifesto dizia; agora pude ver na pesquisa) aqui no Rio estamos mal.
Voltaram à carga com a mata de Camboatá onde querem fazer autódromo. E ao contrário da matinha de Fortaleza não há nada para interessar ao Iphan, mesmo o Iphan de melhores tempos; lá há vestígios de assentamentos antiquíssimos, aqui árvores e avifauna "apenas".
Correram vários manifestos, assinei todos e criei um, e com a chegada da pandemia acho que torcíamos para o vírus e os probleminhas jurídicos que cerceiam carreiras, notadamente a do nosso governador, apagassem o projeto do mal-vindo autódromo das memórias.
Não apagaram. Ainda é apenas um projeto, mas vamos assinar e divulgar. E vocês que têm redes sociais podem inclusive divulgar melhor.
Pus na barra de pesquisa sos camboatá e entrou.
É o ar que respiramos e o que vamos deixar para trás.

sexta-feira, 17 de julho de 2020

cabelo, cabeleira, cabeluda, descabelada

O novo ministro afirmou que jamais preconizou castigos físicos na escola, e afirma ser a favor de um Estado laico. Menos mal. Que ele tenha escrito que sem " dor" jamais a criança crescerá sã explica talvez em parte por que consideram tão "perdidos" os que pensam diferente.

Esta semana mandaram recolher, após protestos, uma apostila com frase preconceituosa, creio que do governo estadual fluminense mas não ponho a mão no fogo, fugiu à memoria. Era para ensinar verbos, insiste a autora, não havia intenção de ofender.
Algo como "Agora que Fulana alisou os cabelos, eles ficaram/ ficarão/ ficavam bonitos" escolha a opção correta. A pessoa explica que tendo cabelo cacheado o "alisar" veio naturalmente.
Mas havia outras frase polêmicas que a reportagem citou mesmo sem terem motivado o recolhimento da apostila. Uma demonizava o ex-presidente Lula e outra o MST. Pode-se criticar muita coisa tanto no político como no movimento, mas usar isto em material escolar?
Educação em tempos terraplanistas.

Um deputado estadual com longa trajetória a favor da ecologia, em quem por sinal votei, conseguiu aprovar em 2018 uma lei sobre políticas ambientais, focando a indústria, que prevê entre outras coisas campanhas educacionais. A Firjan tentou vetar esse e outros artigos (metas de reciclagem, embalagens bio etc). O TJ-Rio indeferiu o absurdo. Agora a Firjan, em seu lindo casarão de Botafogo, poderá organizar cursos de conscientização para empresários.
Viva o colete do deputado!

domingo, 12 de julho de 2020

suçuarana e outros tupis

Do tupi, "parecido com veado", suaçu-rana. Sim, ela é parda, da cor dos veados, certo? Não sabia, ela mia em vez de esturrar, tem olhos verdes e não ataca o ser humano a menos que ele ataque primeiro. Esturro pra quem não lembra é aquela tosse estranha da onça-pintada, o iauaretê. A onça parda tem sub-espécies, e a daqui reage assim. Do Peru pra cima pode atacar o que vir pela frente.
Foram avistadas várias nas matas do Rio de Janeiro, aproveitando o sossego pra descer um pouco da serra. É bom sinal, pois não há predador sem presa.
Parece que vão fiscalizar com maior severidade os caçadores. Ajudaria proibir as armas novamente.

Uma notinha no Globo diz que mais de um ministro quer a cabeça do nosso preclaro, e corrupto, sinistro do Meio Ambiente. Lá fora traduziram a expressão "passar a boiada", pois é.

E do Ceará nos chega a denúncia, em Sabiá-guaba (lugar onde bebe o sabiá, até onde alcança o meu embrionário tupi) uma matinha cheia deles e de muitos outros seres de pelo e de pena; gente só os biólogos, periga ser arrasada para ali erguerem condomínios de luxo.
A petição corre pelo Change.org, eu a divulguei como pude e se você não recebeu, ponha na barra de pesquisa e assine também!


sábado, 11 de julho de 2020

falta de Educação

Nomeou-se o quarto ministro da área. Não surpreende que seja pastor, mas é presbiteriano, não daquela famigerada congregação. Presbiterianos participam de eventos ecumênicos, pastores presbiterianos já apertaram a minha mão, pode por esse lado merecer um voto de confianças; basta lembrar sempre, como diz o jornalista, que o Estado é laico, e pronto.
Mas aí começam as dúvidas.
Poucos anos atrás este senhor, cujo currículo parece sólido, recomendava castigos físicos. Com pormenores e citando a Bíblia. Verdade é que  agora apagou a postagem, portanto não é crível que vá incluir tal uso nas escolas. Tanto ou mais preocupa que cite a Bíblia como se fosse bússola, mesmo sendo pastor, para coisa tão polêmica. Na Bíblia se acha de tudo. Está por exemplo escrito, Não deixarás viver a feiticeira. Vai ser apedrejamento ou fogueira, pastor?
E preocupam mais ainda os seus coleguinhas. Não estão gostando. Um particularmente falastrão e próximo, para mal dos pecados da nação, do clã que nos assombra, já estrilou. Que, alto lá! propor pacto com esquerdopatas não pode ser. Esse outro pastor, um mala que fala, já definiu quem pode e quem não pode merecer a luz divina.
Mas voltando ao novo ministro, o que ele precisa lembrar é que salvar o ano letivo pode ser bom mas não pode ser prioridade. Tocar pra frente de qualquer jeito, num quadro de ensino já não muito bom das pernas, é pior do que todos perderem o ano. Sim, muitos estão estudando em casa. Mas infelizmente a maioria dos discentes de escolas públicas Brasil afora não tem computador nem acesso a ele, e esta maioria simplesmente NÃO está estudando.
Estudar nunca é inútil. Seja particular ou pública a escola, os garotos que estão acessando aula virtual estão se beneficiando disso, mantendo aquecida a máquina, aprendendo novos saberes. Não devemos sacrificar mais estudantes já muito sacrificados; e determine a volta às aulas a total segurança para professores e alunos.