Bem-vindo ao Blog do Caminho das Folhas.

sábado, 15 de junho de 2019

das fobias, das psicoses

Homofobia foi equiparada legalmente a racismo. Mas o mandatário supremo (ficam as minúsculas) não concorda. Explica o porquê: prejudica o homossexual, ficará mais difícil de conseguir emprego, o patrão (forçosamente hétero na visão dele) terá receio de ser processado. E se por exemplo alguém diz ao homossexual que o hotel está cheio, e ele descobre depois que havia sim um quarto, processa o dono do hotel.
Não sei se a lei permite ao dono alugar a quem quer e prefere. Mas já vislumbramos a quem o mandatário ia preferir não alugar.
E emenda que por isso é que era bom um juiz evangélico no STF, para coibir semelhante absurdo..
Ah tá.

Bem, o maluco "da facada" foi internado num manicômio judiciário e se for um dia dado por são irá para o presídio comum. Mas o mandatário não se conforma e "ia ligar pro advogado dele". Terá mais de um, porém um destes, aliás uma, concordou plenamente que o autor da facada deva ser internado e assinou o parecer.

Já  governador lamenta não poder pedir à ONU licença pra mandar um míssil e explodir a favela onde viu imagens de traficantes.
Governador, traficante armado em favela não é só na que o senhor viu, não. Em todas ou quase. Em raríssimas o comércio ilícito se faz sem armas à vista. Nem é de agora. Meados dos anos 90 subia eu o Dona Marta (não, não ia à boca) e atrás da primeira esquina à esquerda havia um bando de garotos mais baixos do que eu portando fuzis maiores do que eu. Diante da casa da saudosa Tia Maria do Jongo que acaba de falecer, em Madureira, poucos anos depois disso circulavam outros garotos de arma na mão. A mãe até denunciou um deles para que ele saísse do  tráfico.
Então o ilustre não entendeu nem as raízes nem as ramificações do problema. Eu concordo com ele que seja um. E quem acha que bombardear favela resolveria é digno de assistir gargalhando à destruição da placa da Marielle, grande empoderadora de jovens favelados, gargalhadas essas dadas pelo nobre governador.



sábado, 1 de junho de 2019

vieses

Diz o presidente que está na hora de haver um evangélico no STF. Não esá não, senhor. Como foi rebatido por magistrados e jornalistas, a condição tem de ser não o gênero, religião ou cor da pele mas sim a capacidade.
Barbosa não entrou porque era negro (talvez, em 1950 não entrasse , sendo negro, nem com os diplomas e conhecimento que possui). Isso já dizem, muito melhor do que eu.
Mas por que o presidente sai-se com essa justo agora?
Bem, a tal bancada evangélica tende a não gostar da excessiva flexibilização de posse e porte de armas. Não combina muito com caridade cristã, verdade? Um afago desses torna a pílula digerível.
E naturalmente se for anticonstitucional e não deixarem, os vilões estão já apontados.
Mas acredito também que haja outro motivo, ao que o ex-capitão reagiu de bate-pronto: o vazamento de informação um tanto delicada dois dias antes, sobre o tio da sua esposa. Que segundo o que vazou está preso por crimes comuns e é integrante de milícia.
Agora aliás se entende o afinco  familiar em defender paramilitar.
E mais uma vez o afago demonstra o quão boa gente é a pessoa...

Mas vamos combinar uma coisa, o vocábulo cristão (o moço se declarou ontem cristão, querendo dizer evangélico e sendo católico) foi encampado pelos pentecostais e neos, e de forma incorreta. Todo católico, ortodoxo ou romano é cristão. Isso é como os adeptos do presidente dizerem que eles são brasileiros e os outros não.
Não sou católica mas se fosse não estaria periodicamente reclamando do abuso, estaria escrevendo para o Papa e fazendo um escândalo.  Ademais me parece que os espíritas cardecistas e  consideram cristãos e assim não poucos umbandistas.
Então o bom ex-capitão não nos venha com demagogias. Que vai parecer "viés ideológico".