Bem-vindo ao Blog do Caminho das Folhas.

sábado, 10 de abril de 2021

as boas notícias

 Correndo.. correndo antes que venham piores, e vejo que haverá, pelo que recebi de um amigo sobre pichações.. A prisão do inacreditável casal acho uma boa notícia relativa, porque uma criança precisou morrer para a sociedade ficar livre desse monstro. A mulher é feita de plástico feito a boneca Barbie, e psicólogos avaliam que ela jamais será normal. 

Não, as boas notícias que queria dar são duas; o lançamento de programas de celular em nheengatu e em kaingangue. Também relativa, já que muitas outras línguas se extingüiram, que indígenas morrem de epidemia e chumbo continuamente, que existem outros idiomas indígenas que ainda florescem. Mas foi  um começo, e um bom começo. Lembrando que o nheengatu foi a nossa "Língua Geral" à qual tanto devemos, que duas aldeias no norte o falam desde séculos, e que nos anos 80 tentaram proibir programas locais em nheengatu porque... a lei não permite programas em língua estrangeira! 

E a outra é mais pessoal e de âmbito menor. Mas o meu entregador de jornais faz três semanas me insere, caprichando na esferográfica, variados votos de esperança e boa saúde entre nome do jornal e matéria de capa. O que leva um modesto entregador a gastar tempo e caneta assim? Desejo de fidelizar os clientes, cada vez mais afeitos ao jornal virtual? (pode ficar tranqüilo moço, não penso mudar)  Sensação aguda da própria mortalidade e assim deixar a sua marca na face da Terra? Se era isso já deixou. Considero linda a iniciativa.  Comprei um par de máscaras e dei para ele de Páscoa. 

Leitor de notícias cem por cento digitais não vai vivenciar isto jamais... E estas eram as boas notícias.

quinta-feira, 1 de abril de 2021

roendo pequi

 Descobre-se quase no mesmo dia que quatro influenciadores digitais (existe quem acompanhe isso e esses) receberam gordas quantias para fazer propaganda do "tratamento precoce", leia-se cloroquina e afins, que as viagens presidenciais a balneários, para tirar fotos, causar aglomerações e tal, saíram dos cofres públicos. Talvez os influenciadores ainda representem um caso pior. Apesar de estarem de máscara, mandarem lavar a mão e usar gel, incentivam o uso de um coquetel que não apenas carece de eficácia, como destrói o fígado. É um ato criminoso e pago pelo contribuinte.

Vários seguidores já morreram de falência hepática e outros estão na fila da UTI. Criminoso.

Os aqui mencionados ataques de seus asseclas a pesquisadores, ataques já físicos que replicam as ofensas a médicos e enfermeiros no ano passado, indicam o grau de alucinação incutido por estes supostos  "conservadores" nos seguidores. Tratam uma doença que não quero aceitar que existe? Buzino na porta do hospital, ofendo. Realizam pesquisas que vão de encontro ao interesse do agronegócio? dos madeireiros? Tento matar. A doença não se consegue mais esconder? Convenço os incautos a ingerir o que mandatário recomenda. Porque ele quer ter razão, e eu quero que ele tenha.

Adapto a minha ação aos meus desejos e não aos fatos. Realidade virtual, para quem faz uso excessivo de rede social, e essa realidade concreta que os demais precisam vivenciar, se confundem, E vou preferir a que melhor convém. Este mau militar faz mal à saúde coletiva, física, moral e intelectual. Como disse um melhor militar, demitido faz tempo, falta-lhe amadurecimento intelectual. Não vale um pequi roído!



domingo, 28 de março de 2021

a semana da paixão

Nos jornais vejo: o chanceler que começa a arrumar as gavetas é o articulador da manobra visando transformar o Museu de São Cristóvão em Museu da Monarquia ou coisa assim. O idealizador principal, e sem trocadilho, é o deputado  a quem os correligionários chamam de Princês, do ramo ultraconservador da família imperial, que tem integrantes melhores.  Bom será lembrar a reação do atual ocupante do Planalto quando ainda em campanha lhe perguntaram o que faria a respeito do incêndio, se eleito.- Quer que faça o quê? Já pegou fogo.

Esta articulação deveria ser um dos mais fortes  motivos para afastar o terraplanista por culto que seja (fala grego, guarani e latim, o que é admirável). Pois qualquer outro indicado deverá obediência às pautas alucinadas do chefe de estado, mas o Museu precisa permanecer de História Natural. Apesar de abrigar e justamente porque "abriga aí uns esqueletos de dinossauros" como comentou um integrante do conluio.

O ataque à Ciência vai além da cloroquina matando (mata antes de tudo quem acreditou no presidente) e desta sandice imperial. Estão agora atacando diretamente os pesquisadores. O tema deste blog teria sido este, sem as molecagens do "white martins". A tal ponto ameaçaram pesquisadora paulista que pesa emigrar com os filhinhos para a Itália; o estudo denunciava os agrotóxicos que envenenam. Com outro foi pior, o seu estudo-denúncia do desmatamento lhe valeu seqüestro cuidadosamente planejado, e sobreviveu, com os braços cortados de faca, porque lutou e abriu a porta do carro. Este não tem filho pequeno , foi lavrar BO e foi à Defensoria.

A cada dia que sobrevivemos nos tornamos mais fortes. Possamos chegar bem ao domingo de Páscoa e além. Que São José nos queira trazer ainda que com atraso chuvas que limpem e nutram. Sobrevivamos nós e o País


quinta-feira, 25 de março de 2021

foi o "ó"

 Faz-se de inocente o assessor de coisa alguma, que lá atrás, exonerado por briga interna de seu posto de mentirinha, caiu para outro, para não fica o pobre à deriva. Faz-se de inocente quando declara que sendo judeu, jamais faria o gesto dos supremacistas brancos, e o faz duplamente.

Primeiro porque não era esse o gesto, estava mesmo mandado lembranças para o ponto da anatomia dos senadores que integrantes do governo, pai filho e agora espírito torto, gostam de mencionar. Gesto bem brasileiro, com os dedos na horizontal e não sugerindo W; o clã dá banana no plenário, xinga em voz alta, este rapaz é sonso. Segundo porque sendo pessoa viajada, pelo menos no eixo Brasil-Miami-Virgínia-Washington, não ignora que, como em todo grupo humano de qualquer cor e religião, existem entre os judeus também racistas Contra judeus de outras regiões, contra não-judeus e contra negros. "Judeu" não é antônimo de "branco". Ah, e também não ajeitava a lapela. 

Agora lemos que será definitivamente exonerado, acreditarei vendo. Este é um governo que hesita pouco em se desfazer de auxiliares competentes, se pensam com a própria cabeça, e um século para mandar embora os piores, contanto que lhe afaguem o ego, obedecendo à risca. É o caso do próprio chanceler, a quem um dos senadores perguntou na mesma sessão com cheiro de fim, se tinha certeza de ter mesmo concluído o Rio Branco.

Podem sair os dois. Poderia até sair o inimigo do Meio Ambiente. Se virão em seus lugares novos militares para ser capitaneados por um insano capitão, é este que precisa sair, como o miolo de um tumor.


sábado, 20 de março de 2021

de minestrones e chocolates

 "Ele tá louco pra fechar os jornais" declara o primeiro ex-ministro da Saúde, o que deixou melhor nome e agora se considera oposição.

Li que houve manifestações meio que convocadas por este "ele" dia 14 e dia 15, no centro de várias capitais. Creio ter visto algo em SP, mas se aqui no Rio houve uma, não vi noticiado, o que parece estranho. Nenhuma foi muito expressiva, mas nenhuma foi minimalista também não. E se aproxima a data que o dito cujo obteve licença para festejar. Que sejam civilizados os festejos . Como em "civil",  como em civilidade.

Enquanto isso os militares não se entendem quanto ao mais recente ex-ministro, o general, a quem em mais um desmando o presidente quer dar algum cargo de ministro, para que assim mantenha o foro, foro esse que vem servindo por exemplo ao seu filho mais velho: o da fantástica mansão de chocolate toda rachadinha. Uma sangria monetária que em vez de ser investida na Saúde ou na Educação, iria para o bolso deste senhor.  E não vamos esquecer o veto à internet nas escolas públicas, que permitiria o acesso a tantos estudantes privados dele em casa e atrasadíssimos em relação ao que seria a média; à média, nem ao ideal. Pois sim, se o dinheiro pode ser preciso para pagar um novo ministro. Seria um "minestrone", derivação do "aspone".

E um biólogo avisa que além do colapso da saúde, já começou o colapso funerário. Fiquem vivos, e o Brasil também. Sobreviva o país, sobrevivamos nós.



sexta-feira, 12 de março de 2021

os desmascarados

 Li hoje que a militância extremista não aceitou nada bem a reviravolta de seu guia, se deixando fotografar de máscara.  Ele aliás já contraiu o vírus uma vez, na versão branda, e está sujeito, como qualquer um, à recaída.  

Agora entendo por que de uma hora para a outra apareceram pessoas sem a proteção. É proibido, mas dão seu recado. São poucos, mas não havia nenhum. Aqui no bairro vi alguns, todos homens brancos e moradores, e uns dez ou mais no Catete, ontem, os de lá visivelmente gente muito modesta de todo gênero e cor, transeuntes e alguns vendedores quase-mendigos daqueles que ficam perto do Arcebispado. Vinha da cidade, onde o único sem máscara foi o motorista do ônibus, para quem comentei que ela tinha de ser usada. No ônibus infelizmente não é raro naquela linha, nas calçadas nunca antes.

Tudo por causa do temor ao ex-presidente .Que em vez de focar nos inimigos da democracia, volta a se pegar com colunistas do Globo, como a ex-guerrilheira economista. Essa apanha por todos os lados. "Coitada da cobra!" lembrou, indignamente, o atual mandatário, referindo-se, se alguém não sabe, a uma das formas de tortura usada contra ela na ditadura, trancá-la com uma cobra numa cela sem luz. Bom não esquecer também que extremistas ameaçaram jogar bombas, em 2019, num evento literário a que fora convidada no RS. E que o organizador teve como primeira reação desconvidá-la, sem tentar chegarem juntos a uma solução. Agora o ex-presidente cita frases truncadas ou deformadas, obrigando a moça a gastar espaço corrigindo. Mas não está mal gasto, sempre importante saber que certas coisas não mudaram ainda.

Presidente, isto é ridículo. Jornalista não está aí pra adular ninguém. Dê-se ao respeito, identifique melhor os reais inimigos de todos nós, não apenas seus. São os que agora começam a a se des-mascarar.



segunda-feira, 8 de março de 2021

lenda urbana

 Triste ver os pedreiros do prédio em frente se chocarem com o janelaço que explodiu fora de hora, ou pela decisão do juiz Fachin, ou por não lembro que bobagem proferida pela ministra das goiabinhas. Comentaram e disseram à meia-voz, Vai Trabalhar! Voltei pra janela e disse, - Está todo mundo trabalhando, meu querido, nem todo mundo é pedreiro. 

Um deles vingou-se exclamando Mito, mito! no mesmo tom de antes. Conheço pedreiros que não "mitificam" de jeito nenhum, Não é o caso destes.

Sábado na av. Paulista, fim de tarde, uma pessoa com duas máscaras foi interpelada por uma pequena aglomeração, trinta pessoas talvez, que protestavam sem máscara contra a mesma. Um casal a interpelou quando a viu filmando e a tratou de Escrava, escrava! e Súdita de Dória. Ainda devemos sentir alívio que foi só esse casal. E apesar do homem ser fortão e vestido com camisa de camuflagem preferiu ficar botando a língua. A maioria não deu atenção alguma, e estas pessoas sendo um tanto confusas mentalmente, dava para ver dois manifestantes de máscara de papel apoiando os contrários a ela.

Pessoas teleguiadas votam. Dispomos de um ano e meio ou nem isso.

A diferença entre lenda e mito é que a lenda tem um fundo de verdade. Mito não tem nenhum.